Projeto Pedagógico

Projeto Pedagógico e de Animação de Campos de Férias

I – Caraterização geral da entidade

1.    Descrição breve

A Rede Desportiva Local MCBA foi criada em Dezembro de 2015 com o objetivo de desenvolver, fomentar e promover a prática desportiva de mini-basquetebol em públicos mais jovens. A ser promovida em conjunto com o a divulgação e demonstração de princípios éticos, de espírito de equipa e desportivo, de boas práticas e atitudes positivas no desporto (tanto os alunos como os encarregados e professores), nomeadamente alunos do 1º e 2º ciclo, pretende-se contrariar a tendência para a disponibilização e treino em massa exclusivamente competitivo de apenas um desporto nas escolas.

A RDL MCBA encontra-se atualmente em vigor com a presença de quatro entidades principais:

·         Associação de Artes e Desporto High Play, NIF 509670245, que é atualmente a entidade gestora;

·         Associação BCG – Basket Clube de Gaia;

·         Instituto Português do Desporto e da Juventude - Delegação Regional do Norte;

·         Associação de Basquetebol do Porto.

2.    Identificação e caraterização da entidade

a)    Objetivos da entidade

·         Suporte e promoção da prática do Mini-Basket no Concelho de Vila Nova de Gaia;

·         A promoção do mini-basquetebol como atividade desportiva de interesse e alternativa às atividades físicas e desportivas mais tradicionais do Concelho de Vila Nova de Gaia;

·         A prática do desporto com carácter regular e diversificado, consciencializando individual e colectivamente o público-alvo para a atividade física e a criação de hábitos saudáveis;

·         O fomento de parcerias que permitam o desenvolvimento de atividades associadas à prática do mini-basquetebol, através da disponibilização de recursos técnicos, materiais e financeiros, suportando a sustentabilidade e continuidade do projeto e da Rede;

·         O desenvolvimento de ações formativas com o intuito de suportar a ligação entre a prática desportiva e a melhoria de competências e da ética desportiva;

·         A ligação entre os vários componentes do tecido social no Concelho e os vários agentes privados e públicos através da prática do mini-basquetebol por este público-alvo;

·         O aumento da prática desportiva e da diversidade do ensino desportivo em ambiente escolar;

·         A formação pedagógica dos professores, alunos e pais, em valores e competências associadas à prática desportiva positiva, criando agentes de mudança positiva e eliminação de maus comportamentos no desporto como a falta de ética, doping, comportamentos inadequados, falta de fair-play, discriminação, etc.

b)    Breve história da entidade gestora

A Associação de Artes e Desporto High Play, NIF 509670245, com sede em Rua de S. Miguel 731 – 4505-522 Corga do Lobão e escritórios em Rua do Choupelo 300 – Quinta da Fonte Santa – 4400-088 Vila Nova de Gaia, foi criada em Dezembro de 2010, com a finalidade de apoiar o crescimento e desenvolvimento mental das crianças e jovens de forma equilibrada através da promoção de um conjunto de atividades educacionais, desportivas e artísticas.

Ao longo dos anos a Associação tem vindo a desenvolver projetos dos quais destacamos além da RDL MCBA, por exemplo o DFC (Design for Change), um concurso que motiva as crianças e jovens a imaginar, pensar, desenvolver, executar e divulgar projetos nas suas comunidades. Sendo um projeto global, com presença em mais de 30 países, a Associação foi responsável pela implementação do projeto em Portugal e que conta já com 5 edições, e cerca de 10.000 crianças participaram direta ou indiretamente neste projeto.

Outro exemplo do trabalho que a Associação tem vindo a desenvolver é o Projeto Coach+ que tem como  lema “Melhores Atletas. Melhor desporto. Pessoas melhores" e foca-se em fornecer a todos os atletas na sua juventude uma experiência positiva no desporto.

No centro deste trabalho existem três modelos:

Primeiro: O  Coach+2_Goals – esforça-se para ganhar o desenvolvimento do atleta e da equipa ao mesmo tempo que prossegue com um objectivo mais importante - dar lições de vida através do desporto;

O Segundo: Pais+Positivos - concentra-se em lições de vida, ao evitarmos que treinadores e atletas se concentrem apenas em competir;

O terceiro: 3*Goals – esforça-se para criar impacto no desporto e na criança ou jovem a três níveis: “melhora-te a ti mesmo”, “melhora os teus colegas de equipa” e “melhora o jogo em geral”.

c)    Recursos Humanos

O projeto conta com um conjunto de recursos humanos de suporte à prossecução dos objetivos e das atividades desenvolvidas, dividindo-se em recursos em regime de voluntariado e recursos pagos. De forma a limitar os custos e pela natureza introdutória do projeto, foi definido que a Entidade Gestora e o Concelho Coordenador irão recorrer ao voluntariado sempre que for possível.

A RDL MCBA conta atualmente com um Coordenador Técnico, experiente no treino de basquetebol e com conhecimentos profundos da modalidade e da sua presença nas escolas e no Concelho de Vila Nova de Gaia, bem como dos clubes desportivos que a praticam. Esta pessoa garante a execução das atividades, coordenação dos diversos parceiros e agentes participantes, gestão de recursos financeiros (com supervisão da Entidade Gestora), gestão dos recursos materiais, e garantir o bom funcionamento e decorrer do projeto na sua totalidade.

Conta adicionalmente com Voluntários da Associação de Artes e Desporto High Play, com experiência em desporto, psicologia e gestão, e que colaboram no sentido de gratuitamente:

o   Providenciam formação pedagógica e comportamental a pais, professores e alunos;

o   Acompanham as formações técnicas dos treinadores;

o   Fazem reuniões com eventuais parceiros;

o   Criaram a imagem, logótipo e marca do projeto MCBA e das 30 equipas a participar no torneio bem como o website www.minicba.com, e ainda a loja online para a venda de merchandising diverso afeto às equipas e ao projeto;

o   Apoio na dinamização dos campos de férias com a marca MCBA para a ocupação de crianças e jovens;

o   Efetuam o acompanhamento técnico e desportivo, suportando a execução das atividades desportivas a decorrer ao longo do ano letivo;

o   Efetuam a gestão administrativa, financeira, contabilística e documental do projeto;

o   Apoiam à coordenação enquanto membro do Concelho Coordenador do projeto;

Temos adicionalmente o apoio de voluntariado da Associação Basket Clube de Gaia – Apoio em regime de voluntariado pelo pessoal da Associação BCG, no sentido de:

o   Apoiar o decorrer das atividades desportivas;

o   Providenciar apoio nas formações técnicas e pedagógicas;

o   Apoio à coordenação enquanto membro do Concelho Coordenador do projeto.

II – Caraterização da instituição como entidade organizadora de campos de férias

1.    Missão

A Rede Desportiva Local MCBA criou este projeto com o objetivo de desenvolver nas crianças, através da prática do Basquetebol, competências sociais e comportamentais, transversais ao seu crescimento, tais como: trabalho em equipa, comunicação, criatividade, respeito pelos outros, autonomia, fairplay, entre outros. Com a prossecução dos campos de férias, é nosso intuito dar continuidade a estes princípios e objetivos num ambiente diferente, mas com a mesma metodologia.

2.    Visão

A nossa visão é a criação de Campos de Férias que promovam a prática do desporto saudável, através do mini-basquetebol, elevando o número e o nível de praticantes desta modalidade, bem como desenvolver princípios éticos e competências que irão guiar os jovens atletas no resto da sua vida. Pretende-se que todas as crianças tenham igual oportunidade e por isso queremos estender este projeto a todas as oportunidades que surjam, tanto durante as edições que decorrem em ambiente escolar, como agora durante as Férias Escolares, através dos Campos de Férias.

3.    Objetivos

O objetivo dos Campos de Férias passa por ter uma continuidade ao longo do ano, aumentando gradualmente o impacto que pretendemos ter junto das crianças e jovens a praticar mini-basquetebol, bem como:

·         Proporcionar umas férias ativas e divertidas, das quais possam guardar as melhores recordações.

·         Contribuir para o reforço da autoestima de cada participante;

·         Fomentar nos participantes a autonomia, a iniciativa e a criatividade,      cultivando a participação ativa nas diferentes atividades propostas;

·         Fomentar entre os participantes as relações interpessoais e de solidariedade, apelando ao seu sentido crítico e de responsabilidade;

·         Proporcionar aos participantes atividades que contribuam pedagogicamente para o seu desenvolvimento integral e harmonioso, ao nível psico-motor, cognitivo e sócio afetivo; 

·         Favorecer a inter-relação família/treinadores/instituição, em ordem a uma valorização da prática do desporto;

·         Adequar as diferentes atividades desportivas, à faixa etária dos participantes, subdividindo-os em grupos;

·         Garantir um bom ambiente de trabalho e coesão da equipa pedagógica;

·         Atingir um grau satisfatório de todos os participantes, bem como dos seus encarregados de educação, relativamente às atividades programadas;

·         Garantir que todas as atividades decorram em espaços seguros, com regras bem definidas, sob a atenção permanente dos monitores;

·         Criar momentos de diversão e brincadeira, oportunidades para explorar os limites, arriscar e assumir responsabilidades.

4.    Estratégias educativas e pedagógicas

O nosso compromisso assenta em dois factores fundamentais: criar um ambiente favorável ao nascimento de empatia entre todos os elementos do grupo, proporcionando a transmissão de valores essenciais ao crescimento de seres humanos melhores e o carácter lúdico-pedagógico das actividades.

Usando a prática do Basquetebol como mote pretendemos transmitir um conjunto de valores como a solidariedade, o espírito de entreajuda, a amizade, o respeito pelos outros, o gosto pelo desporto e por um estilo de vida saudável.

Consideramos a aprendizagem como resultado de uma aquisição conjugada de conhecimentos, atitudes e comportamentos, sendo todas as ocasiões susceptíveis de se revelarem como experiências educativas. Dentro da prática do Basquetebol, serão desenvolvidas actividades capazes de desenvolver a autonomia das crianças, fomentar a socialização entre os pares e com os monitores, promover o respeito pelas regras do jogo e do grupo, valorizando a cooperação e entreajuda como forma de obter melhores resultados. A aquisição de hábitos alimentares saudáveis, divulgar e elevar o número de participantes desta modalidade é também uma prioridade.

Para melhor valorizar e enquadrar pedagogicamente o projeto de Campo de Férias, iremos também integrar o Coach+ no Campo de Férias, incutindo às crianças e jovens o espírito de atleta+positivo e à nossa equipa técnica a mentalidade de coach+positivo.

5.    Áreas de intervenção

O Campo de Férias irá intervir especialmente em duas áreas:

-       Fomento da prática de desporto, especificamente mini-basquetebol, hábitos desportivos, metodologias de treino, contacto com atletas profissionais, competição e colaboração;

-       Fomento das competências das crianças e jovens, com foco no desenvolvimento das suas capacidades de trabalho de equipa, liderança, superação, resiliência, abordagem mental positiva e o crescimento em global da criança/jovem enquanto atleta e enquanto pessoa.

6.    Plano de atividades

Os Campos de Férias a desenvolver poderão ser compostos por um conjunto de atividades, nas quais se incluem:

-       Treinos técnicos de mini-basquetebol que abranjam a totalidade das regras, metodologias, práticas e conceitos;

-       Jogos, mini torneios, concursos associados ao basquetebol;

-       Deslocações a recintos desportivos;

-       Deslocações e atividades em ambientes lúdicos (praia, piscina, parque, etc.);

-       Palestras, workshops e outros associados à divulgação de práticas desportivas adequadas, metodologias de treino, hábitos de vida saudáveis, etc.

Ao longo destes momentos iremos aproveitar a oportunidade para potenciar o respeito pelas regras e pelos outros, promover valores como a cooperação, o fairplay, interculturalidade, entre outros.

Para fomentar a socialização entre os nossos participantes iremos utilizar técnicas de quebra-gelo e dinâmica de grupo, de forma a facilitar a comunicação e autonomia.

7.    Duração das atividades

Os Campos de Férias, não residenciais, irão ter a duração semanal, a decorrer em período de férias letivas de verão, não estando previsto um limite máximo (dentro do horizonte temporal).

8.    Pessoal Técnico

A equipa será constituída por um Diretor, um Coordenador Técnico e um rácio de Animadores/Monitores que corresponda a um rácio de 1 para cada 6 crianças (no caso do público-alvo abranger crianças com idades inferiores a 10 anos) ou 1 para 10 crianças (no caso do público-alvo abranger apenas crianças com idades superiores a 10 anos).

A Direção do Campo de Férias será executada por um elemento da direção a definir, da RDL MCBA, em particular da Associação de Artes e Desporto High Play.

Toda a restante equipa técnica será selecionada com base nos seguintes critérios, sendo que serão apenas escolhidas pessoas que os cumpram na totalidade:

a)    Aptidão mental e física, comprovada por atestado médico para o efeito;

b)    Relativamente aos Monitores - Idade superior a 18 anos; Relativamente aos Coordenadores – Idade superior a 21 anos;

c)    Possuir a escolaridade mínima obrigatória;

d)    Inexistência de registo criminal, comprovada por documento oficial;

e)    Relativamente aos Monitores/Animadores - Experiência comprovada da prática desportiva profissional ou treino técnico de basquetebol de pelo menos 1 ano OU conhecimentos comprovados (certificado de habilitações) no ensino de desporto a crianças dentro do limite de idades definido OU experiência comprovada na área da psicologia, preferencialmente psicologia aplicada ao desporto (através de análise de CV e certificado de habilitações)

f)     Relativamente ao Coordenador Técnico – Experiência extensa comprovada na prática e/ou treino profissional de basquetebol, preferencialmente enquanto selecionador, treinador ou treinador-adjunto, de pelo menos 3 anos;

g)    Deverão demonstrar princípios de ética, moral, comportamento e competências compatíveis com os objetivos e visão da RDL MCBA. Deverão também demonstrar motivação para a aquisição de competências no exercício destas funções.

Cada elemento da equipa técnica que irá ser constituída para o Campo de Férias será selecionada através de um processo de entrevistas coordenadas pelo Diretor do Campo de Férias, no mínimo duas e em momentos diferentes.

Cada elemento da equipa técnica terá acesso a formação complementar associada ao projeto Coach+, de forma a que possam transmitir estes conhecimentos aos participantes. Adicionalmente, terão também acesso a formação complementar em metodologias de treino de basquetebol caso se verifique necessário.

Irá ser dada preferência à seleção de elementos da equipa de Monitores/Animadores que possuam cerificação ou formação para a prática da profissão.

9.    Avaliação dos campos de férias

A avaliação dos campos de férias irá decorrer a três níveis e em diferentes momentos:

a)    Avaliação da equipa técnica – a equipa será avaliada em dois momentos distintos:

                                          i.    No final do 2º dia do Campo de Férias, com a presença do Diretor do Campo de Férias, em que os participantes serão incentivados a comentar e criticar os aspetos que considerem positivos e negativos. O Diretor deverá incorporar as informações e efetuar os ajustes que considere necessários;

                                         ii.    3 dias após o término do Campo de Férias, por meio de inquérito electrónico, sobre o comportamento, aspetos positivos e negativos da equipa técnica, pontos a melhorar, sugestões e queixas. Este inquérito também irá incorporar questões sobre os restantes aspetos do Campo de Férias, nomeadamente instalações, atividades, restantes participantes e satisfação geral.

b)    Auto-avaliação da equipa técnica – em dois momentos distintos:

                                          i.    No final do 2º dia do Campo de Férias, após a avaliação efetuada pelos participantes, e com a presença do Diretor para discussão e reflexão sobre aspetos a melhorar ou modificar tanto nos aspetos práticos como no comportamento da equipa técnica;

                                         ii.    No final do Campo de Férias cada Coordenador e Animador/Monitor deverá elaborar um relatório de auto-avaliação e reflexão e entregar, no prazo de 3 dias, ao Diretor. O Diretor por sua vez irá elaborar e partilhar um relatório de avaliação de cada elemento da equipa técnica.

c)    Avaliação do Campo de Férias, a decorrer após um determinado período de tempo, sendo agendada uma reunião entre o Diretor, a equipa técnica e todos os participantes e/ou responsáveis legais que queiram comparecer, para avaliar expectativas, partilhar os resultados dos inquéritos de satisfação e apreciação geral do trabalho realizado.

Acompanhe-nos

Notícias

Parceiros

DMC Firewall is a Joomla Security extension!